logo

Select Sidearea

Populate the sidearea with useful widgets. It’s simple to add images, categories, latest post, social media icon links, tag clouds, and more.
hello@youremail.com
+1234567890

PROTEÇÃO PERIMETRAL

Cerca elétrica

A melhor solução aliando barreira física, barreira eletrônica e barreira psicológica!

Consiste em uma proteção externa ou interna em torno do local visando inibir intrusões indesejadas ao longo do perímetro. Proporciona uma barreira física que não é facilmente transponível e que define claramente onde começa a propriedade, atendendo as três necessidades primordiais exigidas pelo Mercado Mundial de Segurança Perimetral:

As centrais de choque transformam a eletricidade 110 ou 220 Volts para 8.000 a 12.000 volts de acordo com a marca da central. Esse choque é pulsativo, muito forte e impossível de ser suportado pelo ser humano ou por animais, mas tem baixíssima amperagem sendo assim não causa danos a saúde humana ou animal.

A maioria das centrais de cerca elétrica hoje já vem com uma zona de alarme acoplada, que permite que o cliente a utilize para colocar um sistema de alarme em sua residência com baixo custo, precisando somente adquirir os sensores necessários.

A cerca elétrica funciona tanto em 110 ou 220 volts e possui uma bateria de 12 volts que garante o funcionamento dela em caso de queda ou falta de energia. Quando a energia se restabelecer, a própria central da cerca elétrica automaticamente recarregará essa bateria prolongando sua vida útil por alguns anos.

Sensores IVA

Saiba o que é e como funciona o Sensor IVA

Atualmente o Sensor IVA está presente em praticamente todos os locais onde se deseja detectar invasão ou intrusão com eficiência e precisão. Os sistemas de alarmes mais sofisticados e eficientes dispõe do Sensor IVA como principal componente de uma proteção efetiva, garantindo a detecção da tentativa ou da invasão propriamente dita de um perímetro.

O Sensor IVA ou Sensor infravermelho ativo é um equipamento utilizado para segurança eletrônica em geral que cria uma barreira invisível entre suas unidades TX e RX através de um ou mais feixes infravermelhos.

O Sensor IVA forma um muro virtual de 3 até 8 feixes e com 150 metros de extensão a cada trecho. O uso de diversas barreiras permite o fechamento contínuo do perímetro e protege-o de possíveis intrusões através de um sistema preciso de detecção. No momento em que o Sensor IVA tem qualquer um de seus feixes interrompidos ela aciona um relé interno que informará seu estado à central de alarme.

Concertina

A concertina é um arame farpado de alta tensão de ruptura em formato espiral com lâminas de aço perfurantes e cortantes formando assim uma barreira efetiva em muros, cercas e alambrados em geral, sendo indicada para áreas menos vulneráveis, com uma ótima relação custo-benefício. Tal design bem crucial é baseado em cercas utilizadas em operações militares, portanto é considerada a evolução do arame farpado.

São instaladas nas partes de cima de muros de modo que mantenha um alto número de espirais, para confirmar mesmo a proteção local.

 

A Cerca Concertina é uma versão moderna do arame farpado, fabricada em aço galvanizado, inox ou pintada para evitar corrosão. Se você tem problemas com invasores ou só mesmo está querendo se proteger, a Cerca Concertina é ideal para sua proteção.

 

Pode ser instalado sobre muros, alambrados, lajes, portões, telhados ou qualquer estrutura outro tipo de estrutura.

 

Hoje a cerca concertina está sendo muito utilizada por ser um produto de alta eficiência contra invasores e seu custo relativamente baixo comparado a outros produtos de segurança eletrônica. Sem contar que a cerca concertina não necessita de manutenção periódica.

Fiber SenSys

Sistemas de detecção por cabos de fibra ótica:

As soluções de segurança Fiber SenSys (FSI ™) criam valor duradouro para seus negócios e clientes porque empregamos as vantagens da fibra ótica e da segurança integrada:

  • Soluções de segurança de fibra óptica são muito difíceis de derrotar
  • Os sistemas Fibre SenSys requerem pouca ou nenhuma manutenção e têm uma vida útil demonstrada de quase 20 anos (muitos processadores originais ainda estão em uso até hoje).

 

Os sistemas Fiber SenSys funcionam em ambientes onde outros sistemas de detecção de perímetro falham ou têm inúmeros alarmes falsos. Saiba mais sobre nossas ferramentas de software FSI superiores para ajuste e calibração.

As soluções de segurança de fibra óptica são resistentes aos efeitos ambientais (EMI, RFI, vento, temperaturas extremas, corrosão, raios e outras condições meteorológicas).

Aplicações

Utilizando a mais moderna tecnologia de fibra ótica, e com opções de montagem em cercas, muros ou mesmo enterrados no solo, os sistemas FiberSensys utilizam algorítmos sofisticados para detectar intrusos que tentem ultrapassar, cortar ou rastejar sob uma linha de perímetro. Estes mesmos algorítmos também são capazes de distinguir entre os verdadeiros intrusos e os incômodos alarmes gerados pelo vento ou por pequenos animais. Ao contrário dos sensores metálicos (cabos coaxiais), os avançados sensores por fibra ótica não são afetados por ambientes agressivos, incluindo a radiação UV, umidade, sal, ou mesmo descargas atmosféricas.

Os aeroportos têm uma abundância de radares e emissões de rádio em muitas faixas de freqüências, tornando os sistemas de detecção de segurança que utilizam sensores elétricos ou eletromagnéticos não confiáveis ​​e altamente sujeitos a interferências eletromagnéticas (EMI). Os sensor de segurança de fibra óptica não é afetado por freqüências de rádio ou interferência eletromagnética (EMI). Em tais ambientes, as soluções mais confiáveis ​​para aplicações de segurança perimetral são construídas em sistemas de detecção de intrusão de fibra óptica.

A Fiber SenSys (FSI) é um fornecedor aprovado que fornece para muitas das maiores empresas petroquímicas do mundo com soluções de segurança perimetral.

 

Os sistemas Fiber SenSys transmitem a luz de um laser através do sensor e analisam a distorção dessa luz para detectar ameaças. Não há eletricidade nos sensores de fibra óptica para inflamar vapores ou fumos, nem os sensores afetados por EMI, RFI, raios ou proximidade com cabos elétricos. Com as capacidades remotas, as unidades de processamento de alarme podem ser localizadas centralmente, eliminando a necessidade de comunicação e energia no campo. Os custos de infra-estrutura são ainda mais reduzidos pela localização da central que pode ser de até 20 km de distância. Com esta arquitetura, apenas os componentes óticos passivos são instalados no campo. As condições ambientais, como a temperatura, o relâmpago e os líquidos e gases corrosivos tornam-se irrelevantes para o sistema.

A segurança das subestações elétricas afeta a confiabilidade da rede elétrica em uma cidade. O aumento da frequência de ataques às subestações elétricas e a ameaça contínua dos sabotadores tornam a necessidade de uma avaliação contínua dos programas de segurança da subestação. A maioria das subestações parece impenetrável, mas com uma inspeção minuciosa, é relativamente fácil identificar áreas das instalações onde o acesso não autorizado com intenção de danificar, vandalizar ou invadir a propriedade pode ocorrer.

 

O acesso não autorizado a subestações elétricas põe em perigo a vida dos intrusos, funcionários e habitantes da comunidade vizinha. A Corporação Norte-Americana de Confiabilidade Elétrica (NERC) foi designada pelo Departamento de Energia dos EUA para coordenar atividades críticas de proteção de infraestrutura no setor elétrico. A NERC emitiu uma série de normas de segurança consultiva para serviços elétricos, incluindo diretrizes relativas à segurança física de suas instalações.

 

De acordo com a NERC, cada instalação deve implementar medidas de segurança física em suas subestações críticas para proteger o pessoal e impedir o acesso não autorizado a ativos críticos, sistemas de controle, equipamentos e informações que possam residir na subestação. Cada entidade deve implementar soluções de segurança de subestação de forma consistente com a criticidade da subestação e suficiente para fornecer uma consciência situacional adequada da atividade nessas subestações.